Função do colo uterino

O colo uterino atua primariamente como uma barreira física entre o ambiente externo (canal vaginal) e o útero. As células de revestimento do canal endocervical produzem mucina ácida e neutra, que contém eletrólitos (principalmente cloreto de sódio) e açúcares simples (glicogênio) em solução coloidal. Este muco constitui um tampão no orificio cervical externo bloqueando a passagem de agentes patogénicos externos/corpos estranhos da cúpula vaginal para dentro do útero. Imunoglobulinas, enzimas, leucócitos e células epiteliais escamosas esfoliadas podem também ser encontradas presas neste muco, reforçando ainda mais o tampão e adicionando propriedades bactericidas ao muco.

O tampão mucoso não é um elemento estável e hormônios determinam a sua consistência. No momento da ovulação, o muco torna-se muito mais fino e é composto por uma rede acelular de finos filamentos, o que facilita a passagem dos espermatozóides da vagina para o útero e, eventualmente, para as tubas uterinas, onde a fecundação pode ocorrer. Durante a gravidez, o tampão de muco torna-se espesso e protege o feto em desenvolvimento, vedando o canal endocervical mais uma vez.

A cérvix e o útero são estruturas maleáveis que contém fibras elásticas e músculo. Isso é mais evidente durante o trabalho de parto quando o colo uterino precisa dilatar até dez centímetros de diâmetro para acomodar a passagem do feto para o canal vaginal. Quando a fertilização não ocorre, o miométrio do colo uterino dilata para permitir a passagem do período menstrual (fragmentos de endométrio).

Essa dilatação é conhecida por provocar sensações de dor e desconforto comumente referidas como "dor do período menstrual". Estas características fisiológicas do colo uterino são todas controladas pelos hormônios estrógeno e progesterona.

Figura 2.1. Corte histológico da cérvix mostrando as várias regiões anatomicas (http://www.iupui.edu/~anatd502/Labs.f04/female%20reproduction%20lab/s81.f.jpg)

 

Existem dois tipos de epitélio revestindo o colo uterino; epitélio escamoso estratificado na ectocervix e epitélio colunar (glandular)simples revestindo a endocérvix e as criptas.

Figure 2.2. Diagrama esquemático do utero e cérvix mostrando a respectiva localização dos diferentes tipos de epitélio (https://visualsonline.cancer.gov/details.cfm?imageid=4349)

 

X