Anormalidades de células escamosas do colo do útero

Lesão intraepitelial escamosa (SIL)

O espectro histológico da NIC é descrito citologicamente, uma vez que a lesão intraepitelial escamosa (SIL) é reconhecida principalmente pelo padrão anormal da cromatina e pela irregularidade da membrana nuclear como descrito na Tabela 9c-1 acima, e referida no sistema britânico como "discariose". A distinção entre alto e baixo grau (HSIL e LSIL) depende do grau de maturação nuclear e citoplasmática, como demonstrado pela relação núcleo / citoplasma (N/C), que será expressa neste capítulo como uma percentagem: ie núcleo / citoplasma; Diâmetro de 0,9 / 3,6 = 25%.

Além da distinção entre benigno / reativo e SIL / discariose, a distinção mais crítica é entre LSIL e HSIL, porque isso afeta as decisões da conduta do paciente e a necessidade de tratamento.

 

Princípios a serem lembrados:

  • Um diagnóstico citológico é uma previsão do que vai ser visto em um espécime de ressecção ou biópsia histológica;
  • O diagnóstico de SIL em citologia depende de um padrão de cromatina nuclear anormal e de uma membrana nuclear irregular;
  • O diagnóstico histológico de NIC1-3 refere-se ao grau de maturação de células anormais no epitélio escamoso e se reflete na citologia pela relação núcleo / citoplasma.

 

Figura 9c-1. Representação esquemática do desenvolvimento da NIC

(Extraído da Figura 1 em Kelloff & Sigman 2007) [ver Capítulo 4 - Patogênese do câncer cervical e seus precursores

 

 

Quatro características importantes da SIL / discariose e o grau de anormalidade.

  • Discrepância entre maturação nuclear e citoplasmática;
  •  Irregularidade da membrana nuclear;
  • Distribuição irregular da cromatina e maior granularidade;
  • Aumento da relação núcleo/ citoplasma (N/C).

 

Lesão intraepitelial escamosa de baixo grau (LSIL)

Apresentação

As células aparecerão no esfregaço cervical como células maduras em arranjos de formas poligonais como as células intermediárias ou superficiais normais. A LSIL pode apresentar-se isoladamente e em folhetos, mas principalmente como células isoladas.

 

Núcleo

O núcleo é aumentado, mas o mais importante é que há um padrão de cromatina anormal. Existe uma granularidade da cromatina aumentada embora possa permanecer uniformemente distribuída em LSIL. A classificação do Reino Unido reconhece que a discariose, isto é, o padrão de cromatina anormal, é uma característica de todos os graus de SIL (Denton et al., 2008). O núcleo é geralmente hipercromático e o contorno nuclear irregular, mas menor que no HSIL. Bi / multinucleação podem estar presentes. Não há nucléolos associados com LSIL.

 

Citoplasma

O citoplasma é cianofílico ou eosinofílico dependendo da maturação da célula e tem uma densidade semelhante à de uma célula escamosa intermédia normal. A área / diâmetro citoplasmático médio mostrou-se inferior à de uma célula intermédia normal (Slater et al., 2005a).

A disqueratose (queratinização intracitoplasmática) e a paraqueratose podem ser observadas na LSIL, o que deve levar à procura de outras características que sugiram infecção pelo HPV. Queratinização deve levar a uma procura de evidências de HSIL ou mesmo câncer.

 

Relação núcleo / citoplasma

A característica principal que distingue LSIL de HSIL é a relação  N/C. A relação N/C pode ser avaliada em área ou diâmetro das células e tem mostrado ser significativamente diferente entre as células intermediárias normais, LSIL e HSIL em grande parte devido à diminuição do diâmetro médio do citoplasma em vez de aumentar o tamanho do núcleo (Slater et al. 2005a; 2005b). Em geral, o diâmetro é mais fácil de avaliar morfologicamente.

Em seu estudo morfométrico dos critérios TBS e BSCC usando citologia convencional e líquida (ThinPrep e SurePath), Slater et al. (2005a eb) propuseram, como um guia baseado no diâmetro médio do núcleo e do citoplasma,  a relação N/C em que na LSIL seria menor que 50%, 50% ou mais na HSIL e 25% para uma célula intermediária normal.

 

Critérios morfométricos para a relação N/C com base no % do diâmetro médio (Slater et al., 2005a e 2005b)

  • Célula intermediária normal      25%
  •  LSIL (média 40%)                           <50%
  • HSIL (média 60%)                          > 50%

 

Figura 9c-2 (a-c). Lesão intraepitelial escamosa de baixo grau (SIL)​

(a) Aumento da relação N/C na SIL (40% nesta célula): a célula matura até o tamanho de uma célula intermediária normal. O núcleo ainda é bastante redondo; A cromatina é mais grosseira do que o normal e hipercromática.
(b) Cromatina ligeiramente granular, irregularmente distribuída embora a membrana esteja uniforme nesta célula; relação N/C é aumentada (46% nesta célula) em comparação com uma célula intermediária normal.
(c) A multinucleação na SIL pode fazer com que os núcleos pareçam grandes e pleomórficos. Neste caso, todos os núcleos são do mesmo tamanho, mas os quatro núcleos estão em uma única célula.

 

Infecção por LSIL e HPV

A LSIL é causada pela infecção do HPV, que na maioria dos casos é reversível. LSIL muitas vezes mostra características de infecção produtiva do HPV - particularmente coilocitose, que é sua marca patognomônica.

 

Coilocitose e sua relação com LSIL

  • A coilocitose é uma característica da infecção produtiva pelo HPV, mas não pode ser diferenciada da NIC1 na histologia ou citologia;
  • É impossível ter certeza na histologia, citologia ou teste de HPV se uma infecção produtiva irá persistir ou progredir ao invés de regredir;
  • O HPV de baixo risco e alto risco não podem ser distinguido de forma segura por citologia ou histologia;
  • A maioria das LSILs é causada pelo HPV, esteja ou não presente, a coilocitose.

 

Características citológicas dos coilócitos

  • As células que são infectadas e exibem os efeitos citopáticos do HPV são conhecidas como coilócitos;
  • Os coilócitos DEVEM exibir critérios nucleares e citoplasmáticos para que seja realizado o diagnóstico;
  • Geralmente, a coilocitose ocorre nas camadas intermediária e superficial do epitélio escamoso, portanto o tamanho celular deve ser semelhante ao das células escamosas intermediárias e superficiais;
  • Os coilócitos são considerados como uma característica da LSIL no TBS (Nayar & Solomon 2004, Wilbur et al., 2015) e no sistema do Reino Unido (Denton et al., 2008), uma vez que a distinção entre infecção por HPV e NIC1 não pode ser reproduzida;
  • Os coilócitos são mais frequentemente vistos com LSIL, mas também podem ser vistos no HSIL.

 

Critérios citoplasmáticos

  • Há uma área vazia circunscrita em torno do núcleo conhecida como coilócito (koilos significa 'oco' em grego '). Esta área vazia, quando examinada ultraestruturalmente, é cheia de partículas virais viáveis;
  • Uma borda citoplasmática espessa está presente ao redor da vacúolo, representando a marginalização do conteúdo citoplasmático;
  • Assim como a LSIL, o diâmetro citoplasmático é provavelmente menor do que uma célula intermediária normal.

 

Critérios nucleares

  • Pode haver um único núcleo, binucleação ou multinucleação;
  • Perda do contorno nuclear arredondado com núcleos com bordas cortantes e retas;
  • Um ligeiro aumento do núcleo, bem como alterações na distribuição da cromatina ao longo do núcleo;
  • A cromatina pode aparecer borrada (de acordo com a natureza viral da infecção) ou vesicular com uma aparência bastante uniforme, embora seja mais grosseira do que o normal.

 

A coilocitose pode envolver células parabasais e metaplásicas, e estas devem ser consideradas quando células pequenas aparecem como coilocíticas.

Critérios nucleares

• Os critérios nucleares são os mesmos descritos anteriormente;

• Como as células infectadas são imaturas, a relação N/C é maior.

 

Critérios citoplasmáticos

  • Ao invés de ter grandes "cavernas" de citoplasma vazio, as células imaturas exibirão clareamento perinuclear com halos bem definidos;
  • O halo é maior que seria esperado para uma inflamação inespecífica.

 

Figura 9c-3 (a-c). Coilocitose.

(a) Coilocitose envolvendo um grupamento de células intermediárias em LSIL.
(b) Coilócitos apresentando alterações nucleares de LSIL
(c) Coilocitose envolvendo células parabasais em LSIL: observe a distribuição perinuclear do vacúolo coilocítico.

 

X