Distinguindo lesões progressivas das lesões reversíveis

O rastreio citológico tem sido tão bem sucedido em prevenir o carcinoma cervical invasivo que a sua importância como problema de saúde tende a ser ofuscada pelas desvantagens e possíveis riscos do próprio rastreio.

Na Inglaterra, onde a cobertura do rastreio desde que o NHS Cervical Screening Program foi oficialmente lançado em 1988 tem sido elevada, CIN3 tem sido mais frequentemente encontrados e tratados em mulheres entre 25-29 anos de idade (Figura 6.3). Este é também um grupo etário em que a infecção reversível do HPV é comumente encontrada (Figura 6.4), fazendo a distinção entre LSIL, uma condição predominantemente reversível, e HSIL, que carrega um risco de progressão para câncer invasivo, o foco principal para a citologia.

 

Figura 5.3. Dados extraídos do Office for National Statistics para a Inglaterra (1992-2012) e para a Inglaterra e o País de Gales (1972-1982) Dados disponíveis em   http://www.ons.gov.uk/ons/rel/vsob1/cancer-statistics-registrations--england--series-mb1-/index.html

 

HSIL and LSIL em populações rastreadas

  • Em programas de rastreio bem estabelecidos NIC2-3 é mais frequentemente encontrada em mulheres com idade entre 25-29 anos
  • A infecção reversível por HPV (LSIL) é mais comum em mulheres com menos de 30 anos de idade

 

Evitando o diagnóstico exagerado de lesões reversíveis

Wilson & Jungner (1968) reconheceram o problema em potencial do diagnóstico exagerado de lesões "limítrofes" (Figura 6.2), que provou ser um problema no rastreio do câncer cervical. Na maioria dos laboratórios, o número de LSIL combinado com notificações de citologia atípicas ou limítrofes excede em muito o da HSIL. Por exemplo, na Inglaterra (dados de 2012-13), 1,8% dos relatos de citologia adequados foram relatados em média como discariose leve (equivalente a LSIL) ou limítrofe (3,5%) em comparação com 1,2% de discariose de alto grau (equivalente a HSIL) ou câncer. Além disso, as taxas de positividade para o HPV em mulheres com citologia normal são ainda maiores (Figura 6.4, de Bruni et al., 2010).

 

Figura 5.4. Percentual de mulheresd com HPV+ citologia normal em diferentes faixas etárias (Figura 2 in Bruni et al. 2010)

 

Lesões de baixo grau e limítrofes potencialmente reversíveis

  • Limítrofes e ASC-US são mais frequentemente reportados do que LSIL e HSIL combinados.
  • As taxas positivas para o HPV em mulheres com citologia normal ainda são mais elevadas do que ASC-US em mulheres jovens.

 

X