Organismos observados na citologia cervical

Microbiologia Vaginal

 Na citologia somos capazes de visualizar uma vasta gama de organismos, e no caso de vírus, somos capazes de identificar os efeitos citopáticos. Fisiologicamente, a cavidade vaginal contém uma mistura de bactérias aeróbicas e não aeróbias, e mais importante, os lactobacilos, que ajudam a manter um ambiente ácido, geralmente em torno de pH 4,5. Na fase secretora do ciclo menstrual e gravidez, os bacilos estão associados com citólise. Clinicamente, isso pode estar associado a uma secreção vaginal branca, clara e inodora.

 

Figure 9b-7 Lactobacilos em fundo (segundo plano) citolítico

 

 

Infecções específicas da cérvice

As alterações inflamatórias descritas acima são comuns a quase todos os casos de cervicite aguda. Em alguns casos, o organismo microbiológico presente pode ser identificado na lâmina ou irá produzir um efeito citopático específico permitindo que o citotecnólogo faça um diagnóstico sobre o organismo infeccioso.

Os agentes infecciosos específicos que são relatados na citologia são:

  • Trichomonas vaginalis
  • Candida albicans
  • Herpes simplex virus
  • Papilomavírus Humano (HPV)
  • Actinomyces sp.

Monilíase (“sapinho”) ou Candidíase é causada por Cândida albicans. Clinicamente apresenta-se como uma secreção branca, inodora que pode ser associada com prurido vulvar. Em citologia relatamos a presença de hifas e esporos mesmo que não seja clinicamente sugerida. De um modo geral, Candida pode ser visto em esfregaços de qualquer paciente, em qualquer momento do ciclo menstrual, em qualquer idade e com ou sem sintomas. Podem ser observadas alterações inflamatórias não específicas (ver secção abaixo). Vacúolos perinucleares são comumente vistos, bem como paraceratose (orangeofilia de células superficiais e intermediárias).

Candida may be seen on a scanned LBC slide 

Figure 9b-8 (a-b). Candida albicans

(a) Typical hyphae of Candida
(b) Candida hyphae and spores

 

A vaginite por trichomonas é causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis. Apresenta clinicamente uma secreção amarelada e espumosa. Os protozoários são muito pequenos (aproximadamente 15 microns) em forma de lágrima e difíceis de detectação! O citoplasma frequentemente contém grânulos eosinofílicos e o núcleo está localizado centralmente. É importante diagnosticar tricomonas, uma vez que é uma infecção sexualmente transmissível sendo importante que o parceiro desta mulher seja examinado.

A tricomoníase causa inflamação local; as alterações não são específicas conforme descrito na seção abaixo.

Candidíase e tricomoníase não causam doença inflamatória pélvica

 

Figura 9b-9 (a-c)  Trichomonas vaginalis.

(a)  Numerous organisms free and feeding on squamous cells (low-power)
(b) Same field as (a) at high-power.
(c) Immature metaplastic cells with non-specific reactive changes and prominent nucleoli: note Trichomonad attached to cytoplasm of one cell

 

Vaginose bacteriana é sinônimo do termo antigo Gardnerella vaginalis e inclui uma variedade de anaeróbios. A mulher pode ser assintomática ou apresentar um corrimento branco/cinza, com odor desagradável (odor de peixe). É uma condição não-inflamatória. Clue cells podem estar presentes com um grande número de bactérias obscurecendo os bordos celulares das células escamosas.

 

Infecções Virais

O vírus infectante não pode ser visualizado utilizando-se um microscópio de luz normal. No entanto, dois vírus sexualmente transmissíveis causam efeitos citopáticos que são capazes de se identificar na citologia. O primeiro é o papilomavírus humano e o coilócito citopático, que é retratado em capítulos sobre lesões intra-epiteliais escamosas de baixo grau. O segundo é o herpes simplex.

                                                                                                                 

 

Figure 9b-10 Efeito citopático do Papilomavírus Humano (coilocitose)

 

 

O herpes vírus pode ser sintomático e se apresentar como bolhas, semelhantes as da afta, ou pode ser uma infecção latente que é assintomática.

É importante diagnosticar a infecção por herpes, uma vez que pode ter consequências adversas durante a gravidez. A infecção por herpes é conhecida por causar encefalite em bebês.

Na citologia, as células infectadas, apresentam os três M’s das infecções por herpes

  • Marginação da cromatina nos núcleos
  • Amoldamento nuclear
  • Multinucleação

Marginação periférica da cromatina é causada pela acúmulo de partículas virais no núcleo, a cromatina não é fina nem uniforme (é rarefeita), com uma aparência de vidro fosco

Amoldamento nuclear ocorre, pois os núcleos ultrapassam a área citoplasmática e se mantém em contato uns com os outros. As inclusões nucleares chamadas "corpos de Cowdry" podem ser vistas.

 

Figure 9b-11 (a-b).  Infecção pelo herpes vírus no colo do útero (a) Marginação da cromatina e aparência de vidro fosco (b) Marginação da cromatina, multinucleação, citomegalia e inclusões eosinofílicas.

 
 

 

Organismos compatíveis com Actinomyces

Actinomyces são bactérias gram-positivas, não ácidas, filamentosas, que são normalmente vistos em esfregaços cervicais de mulheres que usam DIU.

As bactérias são agregados pseudo-filamentosos que podem se apresentar com muitas formas e tamanhos. Eles têm uma aparência empoeirada levando a ser coloquialmente chamado de "dust bunny" (novelo de lã).

 

Figure 9b-12. Grupamentos de organismos compatíveis com Actinomyces

 

 

 

X